Engieblog
Compartilhe este artigo
catalisadores automotivos

O que são os catalisadores automotivos e para que servem?

By Racoon

Apesar de serem cada vez mais modernos, os motores de carros, ônibus e caminhões ainda são muito poluentes e prejudiciais. Para diminuir o impacto ambiental e as emissões de gases na atmosfera, as indústrias criaram componentes do sistema de escapamento que fazem a conversão desses gases em outros menos nocivos.  Estas peças são os catalisadores automotivos.

Você conhece essa peça e suas variações? Continue a leitura e conheça aqui os principais tipos de catalisadores automotivos, seu funcionamento e as manutenções necessárias!

Catalisadores automotivos de dois estágios

O mais comum dos catalisadores automotivos é o de dois estágios. Ele equipa a maioria dos carros de passeio no Brasil, principalmente os produzidos antes de 2014. Essencialmente, o catalisador funciona, como diz o próprio nome, catalisando as reações químicas, ou seja: acelerando as reações entre os gases provenientes da queima do combustível. Nos catalisadores de dois estágios, esta reação ocorre da seguinte maneira:

  • no primeiro estágio, a colmeia existente dentro do catalisador separa os átomos das moléculas de óxido nitroso, liberando nitrogênio e oxigênio gasosos na atmosfera.
  • o segundo estágio é responsável por fazer a queima dos hidrocarbonetos e do monóxido de carbono, que são altamente poluentes e prejudiciais à saúde. Através da oxidação, utilizando o próprio oxigênio liberado no primeiro estágio, o catalisador automotivo realiza uma série de reações químicas, transformando estes compostos mais nocivos em gás carbônico, que é bem menos poluente que os anteriores.

Catalisadores threeway ou de três estágios

Os catalisadores automotivos threeway têm a mesma função e a mesma composição do de dois estágios. A diferença é que, por ser mais moderno, o catalisador de três estágios possui um sensor eletrônico de oxigênio. Ele mede constantemente a quantidade de oxigênio que sai do motor para o escapamento após a queima de combustível.

Desta forma, ele auxilia o sistema de injeção eletrônica informando a quantidade correta de ar que deverá entrar nos pistões para haver a melhor explosão possível. Isso ajuda – e muito –  a economizar combustível, melhorar a potência do carro e o desempenho do motor.

A questão principal, no entanto, é que estes sistemas threeway são consideravelmente mais caros que os de dois estágios e, por isso, ainda equipam uma gama pequena de carros de alto padrão. É muito mais comum você encontrar um carro, ônibus ou caminhão equipado de catalisadores de dois estágios.

Como fazer a manutenção do catalisador?

catalisadores automotivos

Os catalisadores automotivos têm a vida útil longa, mas em alguns casos é necessário realizar a limpeza ou troca.

Primeiramente, é fundamental saber que a vida útil do catalisador automotivo é de 160 mil quilômetros, em média. Portanto, não é uma peça que requer trocas constantes. No entanto, há situações que podem comprometer ou até mesmo inviabilizar a ação do catalisador, necessitando desde uma limpeza, até a sua substituição.

Enfrentar alagamentos com o carro, por exemplo, pode ser perigoso, caso a água entre pelo escapamento e chegue até a colmeia. Transitar em estradas de terra ou sem pavimentação também pode diminuir a vida útil do catalisador em casos extremos, principalmente se o filtro de ar do motor não for trocado com a frequência indicada.

O que pode causar mau funcionamento do catalisador?

Os catalisadores automotivos, em geral, não apresentam muitos defeitos. No entanto, o melhor aproveitamento e funcionamento da peça acontece em altas temperaturas. Por isso, geralmente os catalisadores automotivos são instalados próximos ao motor do carro, sob o banco do carona.

Mas, assim como a falta de aquecimento correto do motor, a temperatura excessivamente alta também compromete o funcionamento do catalisador e de todo o sistema de escapamento do veículo.

Os catalisadores automotivos só funcionam para gasolina?

Não. Eles são fundamentais em todos os veículos automotores, seja a gasolina, álcool ou diesel. Além dos gases mais nocivos, os catalisadores automotivos também filtram as emissões de outros gases, como o óxido de enxofre e até gases resultantes da queima de parabenos, que são encontrados normalmente em combustíveis que foram adulterados.

Falhas no catalisador tem sintomas?

Não existem sintomas visíveis que expliquem exatamente uma falha nos catalisadores automotivos. No entanto, se observar uma fumaça incomum saindo do escapamento, seja mais branca ou mais preta, pode ser um indício de problemas nesta peça.

Conclusão

Conhecer o funcionamento dos catalisadores é importante para a saúde do seu carro e também para a sua própria. Além disso, o meio-ambiente agradece. Os gases responsáveis pelo efeito-estufa são, na sua maioria, resultado das emissões de veículos. Por isso, é preponderante a escolha de postos confiáveis, com combustíveis de qualidade, além de manter a manutenção preventiva em dia.

Com o avanço da tecnologia, catalisadores feitos de metais nobres, como o paládio, o ródio e a platina ou de cerâmica vem se tornando mais utilizados. Entretanto, os conhecidos como colmeia ainda são a grande maioria e, por isso, merecem total atenção.

catalisadores automotivos

Tirou suas dúvidas sobre os catalisadores automotivos? Quer ficar sempre por dentro do funcionamento do seu carro? Confira já o dispositivo Engie!

Lamentamos informar que em 20 de Abril de 2020, a Engie encerrará seus serviços. Leia mais aqui